“Partida, largada… fugida!” – na Frutas Tereso fazemos uma corrida pela sustentabilidade alimentar e ambiental

A par com a qualidade dos nossos frutos, a segurança alimentar e a sustentabilidade ambiental são as maiores preocupações da Frutas Tereso. É por isso que nos nossos pomares temos a certificação Modo de Produção Integrada (MPI), um modo de produção sustentável que prioriza a utilização de técnicas que limitam naturalmente os inimigos das culturas e que, consequentemente, se caracteriza pela redução da utilização de produtos fitofarmacêuticos.

Estarmos certificados pelo MPI faz-nos pensar no ecossistema como um todo e, na presença de uma praga ou doença, fazer uma avaliação de risco/benefício de todas as opções disponíveis.

Num dos nossos pomares, onde temos Clementinas Oronules, foi identificada a presença de aranhiço vermelho (Tetranychus urticae), considerada uma praga-chave nesta variedade de citrinos.

Sabendo que na natureza existe um ácaro predador deste aranhiço e que esta praga apresenta uma enorme facilidade em adquirir resistência às substâncias activas autorizadas, tomámos a decisão de fazer uma largada de A. californicus, de forma a enriquecer a fauna natural do nosso pomar e combater naturalmente este inimigo. O A. californicus “não vê, mas usa o tacto e o olfacto para localizar as suas presas”, garantindo assim uma maior especificidade de acção.

A empresa com quem escolhemos trabalhar neste projecto foi a Koppert, que nos entregou os insectos em saquetas revestidas com alumínio e com um substrato alimentar no seu interior. Cada saqueta contém 125 insectos, mas tendo em consideração as propriedades associadas a este embalamento, existe o potencial de se atingir o milhar de indivíduos.

Desta forma, esperamos reduzir a população de aranhiço vermelho para níveis toleráveis e continuar a entregar aos nossos clientes e consumidores um produto com qualidade, seguro e sustentável.

Facebook
Google+
http://www.frutastereso.pt/partida-largada-fugida-na-frutas-tereso-fazemos-uma-corrida-pela-sustentabilidade-alimentar-e-ambiental/
Twitter
LINKEDIN